Setembro Amarelo: o mês de prevenção ao suicídio

O suicídio por muito tempo foi tratado como um tabu na sociedade, mas nos últimos anos ele tem estado em evidência. Não por menos: o suicídio entre jovens e adultos aumentou 40% no Brasil, segundo dados referentes ao período de 2011 a 2015 do Ministério da Saúde. Entre os idosos a situação também é preocupante: 8,9 suicídios para cada 100 mil habitantes. Segundo o Centro de Valorização a Vida, a cada 45 minutos um brasileiro tira a própria vida – sendo a quarta causa de morte entre brasileiros de 15 a 29 anos.

O suicídio no Brasil

A região Sul preocupa os técnicos do Ministério da Saúde. Apesar de corresponder a 14% da população, tem o maior índice de suicídios do Brasil e corresponde a 23% deles, ou seja, está acima da média nacional. Desde 2008 o Ministério da Saúde acompanha de perto o estado do Rio Grande do Sul, onde há os maiores índices. Somente no município de Forquetinha, a 135 km da capital gaúcha, são 78,7 casos a cada 100 mil habitantes sendo que a mortalidade nacional é de 5,7 a cada 100 mil habitantes.

Povos indígenas também estão entre os que mais cometem suicídio. Entre 2011 e 2015 houve 44,8% de casos de suicídio entre crianças indígenas de 10 a 19 anos. Esse alto número está relacionado a disputas territoriais, falta de perspectiva de vida e conflitos com a família e povos não indígenas. Isso tudo leva ao alarmante número de indígenas que sofrem pelo abuso do álcool.

Setembro Amarelo

No Brasil foi instaurado em 2015, pelo Ministério da Saúde, o mês de setembro como o mês da prevenção ao suicídio. Campanhas como o Setembro Amarelo tem o objetivo de prevenir o suicídio em qualquer faixa etária e criar um diálogo sobre isso para que o assunto não seja tratado como tabu. Segundo Organização Mundial da Saúde, 90% dos casos de suicídio poderiam ser evitados com ajuda psicológica.

A cor amarela

A simbologia da cor amarela surgiu em 1994, nos Estados Unidos. Após Mike Emme se suicidar, aos 17 anos, seus amigos fizeram uma imensa cesta em seu velório com fitas amarelas e cartões que diziam: “Se você precisar, peça ajuda”. A cor amarela tem a ver com o carro de Mike, que era um Mustang 68 amarelo. Depois disso, os cartões se espalharam por todo país. Um professor de outro estado recebeu um dos cartões de uma aluna pedindo ajuda. Os pais de Mike receberam diversas ligações. Inúmeras cartas chegavam de adolescentes pedindo ajuda. A partir de 2003 a OMS instituiu o dia 10 de setembro para ser o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio.

Prevenção do suicídio no Brasil

O Centro de Valorização a Vida (CVV) foi criado em São Paulo em 1962 e desde a década de 1970 é considerado Utilidade Pública Federal. É o principal meio brasileiro para prevenção do suicídio no Brasil. Desde 2017 o CVV possui canal de ligações gratuitas através do 188 ou 141 (para os estado do Maranhão, Paraná, Pará e Bahia). Além do canal gratuito, há também os postos de atendimento, chat online e e-mail.

Em entrevista para o site Buzzfeed, um voluntário do CVV explicou porque não devemos falar “é só fase”, “isso vai passar” ou até mesmo dizer que é falta de alguma religião em sua vida. “Uma coisa muito importante que aprendi no CVV, e que trago para a minha vida, é não aconselhar. Cada um tem uma história, criação e maneira de enxergar o mundo que é muito própria. Não me sinto em condições de dar algum conselho, pois minha visão a respeito do assunto sempre será limitada. Além do mais, o que é bom para mim não necessariamente será bom para o outro. O que posso fazer é acolhê-lo, ouvi-lo, respeitá-lo, para que, ao falar e reduzir a pressão, ele mesmo se ouça e tire suas próprias conclusões.”.
Acolher em vez de julgar é uma atitude de amor ao próximo. Se você ou alguém que conhece possui pensamentos suicidas, peça ajuda. Juntos somos mais fortes.

Precisa de ajuda ou quer ajudar alguém?

Acesse o site do CVV (ou ligue para 188 ou 141) e do Setembro Amarelo.

Gostou desse post?

Compartilhe para que todos fiquem informados sobre o Setembro Amarelo e sua importância.

Deixe um comentário